Mais antiga representação humana tem 35 mil anos
2009-05-14

© Universidade deTübingen
A Vénus de Hohle Fels veio retirar o lugar de representação humana mais antiga à Vénus de Willendorf, descoberta na Áustria em 1908 e que tem 28 mil anos. A nova figura feminina tem 35 mil anos, foi descoberta em Setembro de 2008 na Alemanha e tem as proporções dos caracteres sexuais femininos ainda mais exageradas.
Nicholas Conard, investigador da Universidade de Tubinga, Alemanha, afirmou em um artigo publicado na Nature que, “não há nenhuma dúvida de que a representação de um peito aumentado, das nádegas e genitália acentuadas resulta de um exagero deliberado das características sexuais da figura”.

A nova Vénus foi descoberta nas grutas de Hohle Fels em estratos do Paleolítico Superior, que coincide com poucos milhares de anos depois dos primeiros Homo sapiens (o homem moderno), terem colonizado a Europa. A escultura tem menos de seis centímetros e 33 gramas é atualmente a representação mais antiga de arte figurativa.
As populações humanas que habitavam o centro da Europa há 35 mil anos, eram sociedades de caçadores/recolectores segmentadas em grupos de 25 pessoas, com ritmos de deslocação certos e que trocavam freqüentemente idéias, objetos e experiências.
Calcula-se que tenha sido neste contexto que a Vénus de Hohle Fels foi esculpida, mas continua a ser controverso, para os investigadores, o porquê da sexualidade feminina surgir de forma exacerbada.
Como a Vénus de Willendorf, não são só certas características que estão sobrevalorizadas, partes anatômicas como os pés e pernas são minimizadas. A cabeça, neste caso, transforma-se num pequeno anel que parece servir para pendurar o objeto.
Uma das características destas figuras é a representação da gordura. Muitas vezes é tão realista que os investigadores defendem que quem esculpiu terá de ter visto alguém com um nível de obesidade raro nestas sociedades.

Anúncios