Brasil: Exposição “América portuguesa” edita catálogo para contextualizar temas históricos

Lisboa, 24 Jul.  – O catálogo da exposição “América Portuguesa”, patente até 05 Setembro de 2008 na Biblioteca Nacional, em Lisboa, foi agora editado, incluindo algumas espécies da exposição paralela “Tesouros brasileiros”.

O objetivo deste catálogo é expresso na sua introdução: “contextualizar alguns dos temas mais relevantes da História do Brasil no período compreendido entre o povoamento e 1808” relativos à exposição.

“América portuguesa” divide-se em sete núcleos, procurando “dar uma visão diacrônica da presença portuguesa e como se refletem em diferentes vertentes, da sociedade à economia”, explicou à Lusa o diretor da Biblioteca Nacional, Jorge Couto.

A “América portuguesa” inclui a colônia do Sacramento, atualmente integrada no território do Uruguai, por força do Tratado de Madrid de 1750, “mas que na realidade só a partir de 1777 passa em definitivo para a Coroa espanhola”, precisou Jorge Couto.

O primeiro núcleo intitula-se “Sociedades ameríndias antes da chegada dos portugueses e encontro”, a segunda “Colonização e confrontos com as gentes da terra e expansão territorial”.

Relativamente à expansão territorial, Jorge Couto afirmou que “o território foi conquistado a pulso. Dos 2,5 milhões de quilômetros quadrados que nos cabiam, chegou-se aos atuais oito milhões”.

O terceiro núcleo intitula-se “Disputas com as potências européias e delimitação de fronteiras”, estando subdividido em três partes, relativas a cada uma das potências que ameaçaram o território brasileiro: Espanha, França e Províncias Unidas (atual Holanda).

“Atividades econômicas” é o título do quarto painel da exposição, o do quinto é “Missionação” e o sexto é “A produção cultural e científica”.

A partida da Família Real de Lisboa para o Rio de Janeiro é o sétimo painel.

O catálogo reproduz várias gravuras, mapas da época e capas de livros como, por exemplo, do poema épico “Caramuru”, de José de Santa Rita Durão, ou “História da América Portuguesa”, de Sebastião da Rocha.

São também reproduzidos desenhos de alçados de edifícios públicos, como por exemplo do palácio do governador do Pará, e desenhos aguarelados ou a tinta-da-china reproduzindo exemplares de flora e botânica.

A exposição “Tesouros brasileiros”, de que se reproduzem algumas imagens, apresenta “as espécies mais valiosas”, tanto documentos iconográficos, como cartográficos e códices provenientes dos fundos da Biblioteca Nacional e da Biblioteca da Ajuda.

Anúncios